Joguinho

dentro das cercas espaciais a gente se odeia por tão pouco porque importante é ser intenso mesmo que seja tenso mesmo que seja fútil, violento alguém passa apressado e não sorri ninguém mais sorri alguém passa devagar pra eu sorrir de volta e no joguinho de mocinho e bandido eu já sei quem sou você […]

Urgente

tenho medo de não saber mais como posso te dizer uma palavra de carinho e de não levantar da cama pra provar que ainda estou vivo e quando falta a esperança fecho os olhos mas não durmo e cruzo os dedos sobre o ventre, imaginando uma saída, uma risada, um escape e a urgência dos […]

Conta

Como a cidade pode ficar em silêncio em tão poucas horas? Por que todos precisam dormir no mínimo seis horas? Como o dia pode ficar escuro e se tornar noite? E se todos fingíssemos que o dia é dia, mas pode ser noite? Como a gente pode deixar de se gostar em tão poucos meses? […]

Golfinhos desenhados na sua bolsa

Era um sushi bar meio caído onde eles resolveram marcar o primeiro encontro. Depois de algumas “combinações” no aplicativo de encontros, ela achou a barba dele bonitinha, apesar do nariz proeminente. Chegou uns oito minutos depois dele. Alta, usava um vestido estampado, com um cinto grande e uma bolsa também estampada; ele, um pouco mais […]

Para Lisa

Hoje eu precisei de alguém que eu não conhecia. E foi como atravessar a Presidente Vargas de olhos vendados: o vento batia e eu respirava até inflar os dois pulmões por completo. Típico de quem escapa por um fio. Hoje eu precisei de alguém e seu nome é Lisa. Que me interrompe quando eu falo. E me […]