Amores de sol

– Existem amores que o fazem despertar dos mortos. Sim, quando parece que tudo estava vazio e você está apenas conformado com aquela água repousando na bacia. O amor vem como o sol e resplandece, a água se doura e reflete toda sua magnificência. Os raios em forma de carinho devolvem brilho aos dias nublados. Ninguém “desaprende” a contemplar o sol.

– Onde está seu marido, perguntava King Kong. – Arigatô, Rosario, arigatô. Você teria um isqueiro? Ah, noite querida, será que desta vez poderia passar mais devagarzinho?

Sei que passo tempo demais sentando. Mas também sei que, ainda assim, sentiria falta das minhas pernas se um dia não pudesse mais andar. Assim deve ser o amor.

– Sou um animal ferido, um barco a naufragar. Exijo um sacrifício, atirem seus botes ao mar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *